5 formas de deixar a sua empresa mais sustentável

 

Ter uma empresa sustentável nem sempre requer criatividade e inovação. Medidas simples, como a implantação de um painel solar flexível, são mais que suficientes para trazerem bons resultados.

Como benefícios, é possível citar produtividade, eficiência, ética e competitividade. Apesar disso, nem todos os empresários reconhecem as vantagens.

A Pesquisa de Sustentabilidade, do Sebrae, indica que 18,3% dos empreendedores acreditam que uma das barreiras para adotar ações sustentáveis é a falta de informações. Em seguida, estão a dificuldade de encontrar parceiros (16,6%) e o preço (11,2%).

Para ajudar nessa empreitada, listamos a seguir 5 formas de tornar sua empresa sustentável. Veja!

1. Evite os desperdícios

Os desperdícios corporativos costumam ser elevados e estão relacionados a defeitos, excesso de produção, estoque, transporte, processamento e outras variáveis. Como evitá-los? Diferentes medidas podem ser adotadas:

  • reduza o consumo de descartáveis pelo incentivo ao uso de canecas e utensílios laváveis;
  • estimule a reciclagem;
  • mantenha a manutenção em dia para evitar vazamentos;
  • diminua o consumo de água com a instalação de torneiras temporizadoras em todas as pias, arejadores, reguladores de pressão e restritores;
  • controle o uso da energia elétrica pela instalação de sensores em corredores e conscientização dos colaboradores.

2. Adote a documentação eletrônica

Uma empresa mais sustentável passa pelo uso consciente dos recursos naturais. Com a documentação eletrônica, você deixa de fazer impressões desnecessárias — e ainda economiza espaço com armazenamento, reduz os gastos com papel e tintas e aumenta a segurança dos arquivos importantes.

Para garantir a validade jurídica, basta ter um certificado digital. Apesar de ser um gasto, em um primeiro momento, é uma oportunidade de se adequar às demandas da transformação digital, fazer um bom investimento e ainda adotar a sustentabilidade corporativa.

3. Avalie a infraestrutura da empresa

O espaço físico em que seu negócio está instalado pode aumentar o desperdício de recursos naturais. Revise toda a infraestrutura para buscar possíveis vazamentos, instalações elétricas mal feitas etc.

Outras medidas são válidas para tornar sua companhia sustentável. Uma delas é pintar as paredes de branco para refletir mais a luz. Também troque as lâmpadas fluorescentes por modelos de LED, instale sensores de presença em locais de pouca circulação e substitua equipamentos antigos por outros novos e mais eficientes.

4. Implemente a ISO 14001 para tornar sua empresa sustentável

A ISO 14001 é voltada para os sistemas de gestão ambiental. A norma indica quais ações devem ser adotadas para reduzir os impactos da empresa no meio ambiente.

A principal vantagem é tornar o espaço adequado às leis ambientais do Brasil. Isso evita a aplicação de multas e sanções. Além disso, o selo de certificação aumenta as chances de firmar parceria com grandes organizações, já que muitas delas só fazem negócios com quem está de acordo com a legislação.

5. Evite as não conformidades

As não conformidades ocorrem quando algum requisito é desobedecido. Assim, há problemas para a execução do projeto e tende a existir mais gastos, erros e retrabalhos.

Uma das maneiras de evitar as não conformidades e manter sua empresa sustentável é usar os 5 Porquês. A ideia é responder:

  • por que o problema ocorreu;
  • por que cada resposta ao problema aconteceu;
  • assim por diante, até chegar à causa raiz do evento.

Assim, você descobre se a questão está relacionada ao trabalho manual, à falta de eficiência, à pouca motivação dos colaboradores etc. Em seguida, é só trabalhar para a sustentabilidade corporativa ser implementada.

Gostou de ver como sua empresa pode adotar a sustentabilidade? Compartilhe este texto nas suas redes sociais e mostre a outras pessoas como é fácil ser amigo do meio ambiente!

Comprar mala de viagem: 5 dicas para acertar na escolha

Sim, comprar mala de viagem é uma ciência! Embora muitos viajantes acabem deixando a escolha da bagagem para a última hora, encarando a tarefa como uma das últimas prioridades do checklist de planejamento, viajar com a mala adequada faz toda a diferença para a facilidade do transporte e a praticidade na hora de embarcar

Resistência, qualidade, tamanho adequado… além de analisar esses critérios, o viajante também se vê diante de uma grande variedade de tipos de malas, o que pode gerar dúvidas. 

A seguir, confira 5 dicas imperdíveis para acertar na hora de comprar mala, evitar transtornos e garantir muito mais segurança para a sua viagem! 

5 dicas valiosas para comprar mala de viagem

1. Vai viajar de avião? Observe as regras da sua companhia aérea 

Para quem vai viajar de avião, o primeiro passo fundamental é checar o site da companhia aérea da viagem para verificar as regras de peso e medidas para bagagem de mão e despachada. Dessa forma, é possível evitar cobranças imprevistas por excesso de peso e malas acima das dimensões permitidas. 

Vale lembrar que o peso permitido para a bagagem de mão foi padronizada pela ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil): 10kg. As medidas e as condições para bagagem extraviada, assim como a compra de franquia, por sua vez, ficam a cargo de cada companhia aérea. Não deixe de ir atrás dessas informações antes de buscar a mala certa

2. Fique de olho no tamanho de mala adequado para sua viagem 

É importante ter em mente que o tamanho ideal da mala é aquele que concilia tanto as necessidades da sua viagem (duração da estadia, volume de coisas a levar) quanto as regras de peso e medidas da empresa área, como tratamos no último tópico. 

No mercado, é possível encontrar basicamente 3 tamanhos de malas: pequena (P), média (M) e grande (G). 

Quando comprar mala de viagem pequena? 

A mala tamanho P trata-se da conhecida “bagagem de mão”, ou seja, aquela que pode ser levada com você no interior da aeronave. Ela pode pesar até 10kg e mede cerca de 40 x 20 x 55cm (largura, profundidade e altura). Essa bagagem é indicada principalmente para viagens de curta duração, de poucos dias a uma semana. 

No entanto, a mala P é versátil e é uma grande aliada também das viagens longas: além de conter itens pessoais, eletrônicos e objetos de valor a serem levados no avião, ela também pode ser a única bagagem transportada pelos viajantes mais econômicos. Com planejamento e minimalismo, é perfeitamente possível viajar apenas com a mala de mão, evitando as taxas para despacho cobradas pela maioria das tarifas. Para conferir dicas de como viajar apenas com uma mala pequena, clique aqui! 

Quando comprar mala de viagem média? 

A mala média é a mais democrática das bagagens! Com peso e tamanho intermediários, ela se adapta a viagens de diferentes durações e também conta com as dimensões máximas permitidas pela maioria das companhias aéreas para despacho (41 x 26 x 66cm e cerca de 23kg). 

Com a mala média, portanto, o viajante consegue despachar sua bagagem sem arcar com taxas extras de excesso de peso e medidas. É uma ótima pedida para quem quer comprar mala de viagem para diferentes tipos de passeios. 

Quando comprar mala de viagem grande?

A mala G é indicada para viagens longas e/ou nas quais os viajantes precisam transportar um maior volume de itens. É o caso, por exemplo, de intercâmbios e viagens de compras, que exigirão o transporte de um grande número de itens. Devido às suas dimensões, ela naturalmente deverá ser despachada. 

Aqui, no entanto, vale um adendo: as malas G, com cerca de 45 x 29 x 77cm e 32kg, ultrapassam a franquia de bagagem da maior parte das passagens aéreas. Por isso, é bem provável que o viajante tenha que pagar taxas extras para despachar esse tamanho de mala, devido ao excesso de peso e às medidas sobre dimensionadas. Fique atento! 

Saiba Mais: Excesso de bagagem: confira as taxas das principais companhias aéreas 

3. Prefira malas de 4 ou mais rodinhas 

As malas de 2 rodinhas são bastante comuns, mas a verdade é que não são muito práticas. Na hora de escolher sua bagagem, uma dica de ouro é sempre preferir aquelas com 4 ou mais rodinhas, que possuem rolagem 360º. Sem exigir reclinação da alça, essas malas podem ser facilmente transportadas de todos os lados, com muito mais agilidade e praticidade. 

Como o peso fica centralizado nas próprias rodas, o viajante também ganha mais conforto. Suas costas agradecem! 

4. Verifique o material de composição da bagagem 

O material de composição é um dos fatores mais importantes para comprar mala de viagem com boa resistência. Ninguém quer buscar sua bagagem na esteira e se deparar com uma mala rasgada ou danificada, certo? 

Os principais materiais são 3: flexível, rígido e semi-flexível. Essa primeira categoria inclui as malas fabricadas com tecido, mais maleáveis. Embora possuam a vantagem de se adaptarem melhor a diferentes espaços e bagageiros (assim como ao conteúdo da mala), esses itens são menos resistentes e não são impermeáveis – se chover ou houver um acidente com líquidos, sua mala vai se molhar! 

As malas rígidas, por outro lado, costumam apresentar as melhores resistência e durabilidade de todos os modelos. Geralmente fabricadas com policarbonato ou propileno (materiais duros), oferecem ótima proteção aos objetos pessoais transportados, além de impermeabilização.

Por fim, as malas semi-rígidas são um meio termo entre as flexíveis e as rígidas, misturando ambas as composições. Essas bagagens são impermeáveis em seu interior, oferecendo também uma boa proteção ao conteúdo. 

Leia Mais: Malas baratas: saiba como encontrar bagagens com os melhores preços 

5. Escolha marcas reconhecidas e de qualidade 

As malas são companheiras inseparáveis dos viajantes e, como tal, precisam ser sinônimo de qualidade. Afinal de contas, nenhum viajante quer lidar com a dor de cabeça de ter uma bagagem estragada, com as rodinhas emperradas ou com uma alça que se danificou no meio da viagem, certo? 

Nesse sentido, priorizar a qualidade é fundamental – boas malas são determinantes para uma viagem tranquila e segura, sem “”perrengues”. Optar por marcas reconhecidas no mercado, portanto, é sempre o melhor caminho. 

Sabemos, porém, que o preço de malas de boas malas pode ser bem salgado, exigindo um investimento significativo. Embora comprar mala de viagem de marcas de prestígio valha a pena em vários casos, em muitas outras situações o custo-benefício acaba prejudicado porque o consumidor não viaja com tanta frequência, e a mala termina “encostada” por muito tempo em casa. 

Já pensou em alugar sua mala? Viaje com a bagagem ideal e muita economia! 

O aluguel de malas é um serviço inovador que permite viajar com malas das melhores marcas do mercado pagando apenas pelo tempo de uso. Dessa forma, você consegue escolher a bagagem que atenda às necessidades de cada tipo de viagem, selecionando a bagagem ideal entre múltiplas opções. 

Libere espaço em casa, economize e despreocupe-se com danos e extravios ao alugar sua bagagem em um processo 100% online!

E então, gostou do conteúdo? Esperamos que nossas dicas para comprar mala de viagem te ajudem a tomar a melhor decisão! Compartilhe o conteúdo com seus amigos!

resorts para crianças

3 melhores resorts para crianças

Quem tem filhos sabe o desafio que é levar a garotada para curtir um passeio, tanto pela dificuldade de desconectá-los do mundo digital, quanto por encontrar um lugar que atenda aos requisitos de segurança e atratividade para comportar as expectativas de toda a família.

A fim de dar conta dessas várias demandas existem os resorts para crianças. Locais cheios de opção para entreter e gravar memórias especiais na vida dos pequenos, mas que também não deixam nada a desejar quanto às opções para os pais.

E como infância está ligada a muita energia, e nenhum pai ou mãe resiste a vê-los felizes, que tal conhecer alguns destinos do contagiante Estado da Bahia e decidir para qual ir nas próximas férias? O portal Bagagem de Mãe também tem um artigo supercompleto sobre resorts para crianças que você não pode deixar de ler!

Resorts para crianças

1- Porto Seguro

No Sul da Bahia está a conhecida Porto Seguro, cidade que abriga o resort La Torre. Cheio de opções para os pequenos, que podem curtir momentos lúdicos recheados com a exuberância da natureza, o complexo turístico possui passeio de barco, em que é possível ver e se surpreender com baleias da espécie jubarte, mergulhar em alto mar, além de visitar o Parque Marinho do Recife de Fora!

E não para por aí! Ao retornar às instalações em terra firme a aventura não termina, pois, em terra firme o La Torre proporciona atividades como a escalada, as plataformas elevadas, a travessia de pontes e o arvorismo! Vale sempre ressaltar que todas as atividades são acompanhadas por profissionais experientes e capacitados.

2- Praia do Forte

Próxima à capital baiana, a apenas 80 km de distância, a Praia do Forte é a localização do Iberostar. Entre as opções para as crianças, está a programação Star Camp disponíveis durante todo o dia, com inúmeras atividades lúdicas e educativas, pois, exploram diferentes habilidades e áreas do conhecimento, de acordo com a faixa etária do pequeno, abrangendo desde os 04 até os 17 anos. Há, ainda, as opções de parque, piscina infantil e serviço especial de babá.

3- Imbassaí

E como último destino está o Grand Palladium, no litoral norte da Bahia, na cidade de Imbassaí. Também privilegiado pela natureza, este complexo turístico traz, para as crianças, clubes especiais com três opções: clube para bebês, mini clube e, por fim, black & white clube juvenil

As atrações contam com infraestrutura adequada a cada fase da infância, a fim de proporcionar entretenimento e desafios com segurança, contando com profissionais qualificados. Desde a ambientalização do espaço até as atividades propostas, há apresentações, jogos, piscina e oficinas como alternativa.

E, então, pronto para fazer as malas? Só não deixe de compartilhar este post nas suas redes sociais e ajudar outras pessoas com filhos!

processos laboratoriais

Como o sistema LIMS impacta nos processos laboratoriais?

Você já conhece o sistema lims? Se você trabalha no mercado laboratorial e se preocupa com a segurança e confiabilidade das suas operações, deveria estar familiarizado com o termo.

Nunca ouviu falar no assunto? Então saiba mais agora mesmo e entenda porque você deveria investir no sistema lims para a gestão e proteção das informações sensíveis que circulam pelo seu negócio diariamente!

Afinal, o que é exatamente o sistema lims?

O sistema lims — sigla em inglês para Laboratory Information Management Systems — nada mais é do que um dos softwares mais utilizados no mundo para gestão de dados laboratoriais.

Com mais de 150 mil usuários e cerca de 540 módulos, o sistema lims é utilizado por corporações preocupadas com a segurança e usabilidade de suas informações, já que garante a integração com outros sistemas de maneira prática e sem risco de vazamento de dados.

Com o lims, é possível realizar, entre outras funções, o registro automático de amostras, a atribuição de análises, o cálculo e revisão dos resultados e até mesmo a interpretação das amostras e a elaboração dos pareceres, tornando a rotina laboratorial muito mais dinâmica.

Quais são as vantagens de optar pelo sistema lims?

O sistema lims oferece uma série de vantagens aos seus usuários. Conheça as mais importantes:

  • como o sistema é totalmente automatizado, reduz a emissão de relatórios em papel, e consequentemente, o tempo para a recuperação de informações e os eventuais erros resultantes desse tipo de processo;

  • possibilita o controle preciso do estoque e dos equipamentos do laboratório;

  • amplia a integração da atividade laboratorial com os outros departamentos da empresa, o que torna o intercâmbio de informações mais dinâmico e menos sujeito a erros,  diminuindo os custos de produção;

  • agiliza a investigação de incorreções em processos, análises e geração de dados;

  • elimina a necessidade de utilização de planilhas eletrônicas, que estão frequentemente sujeitas a lançamentos em duplicidade ou incorretos;

  • possibilita que a inserção de dados seja totalmente rastreável, seja via identificação do responsável ou do equipamento;

  • aumenta a eficiência do laboratório de maneira geral, ao automatizar o ciclo de vida das amostras;

  • automatiza a emissão e envio de relatórios de análises.

Por que usar um software de gestão laboratorial?

Manter as informações do seu laboratório protegidas precisa ser prioridade para garantir o sucesso do seu negócio.

Amostras, pareceres, inspeções e análises são dados sensíveis da estratégia de qualquer empresa e fazem parte de uma cadeia que precisa manter-se segura para garantir a sobrevivência em mercados quase sempre extremamente competitivos.

Em muitos casos, a perda de confidencialidade dessas informações pode trazer consequências desastrosas para o laboratório ou para quem vai utilizar seus produtos.

Por isso, trabalhar com sistemas que priorizem a confidencialidade e confiabilidade das informações geradas não é nem de longe um luxo a que se podem dar  apenas grandes corporações, mas uma necessidade básica de laboratórios que prezam pela segurança de suas operações.

E então, gostou de saber mais sobre o sistema lims e a importância de contar com o software de gestão de informações laboratoriais para o sucesso do seu negócio? Então não se esqueça de compartilhar esse post em suas redes sociais para que mais pessoas saibam sobre o tema!

mba-ou-pos-graduacao

MBA ou Pós graduação? Qual a melhor opção?

Um MBA (Master in Business Administration) está entre os mais populares graus de pós-graduação em negócios no mundo. No entanto, não é o único. Há uma ampla gama de outros diplomas de pós-graduação que você pode desejar.

Por esta razão, este post vai tratar das diferenças entre uma e outra para que você consiga realizar a melhor escolha para seu futuro e carreira. Saiba distinguir qual deseja, seja um MBA no Rio de Janeiro ou fora, ou uma Pós-graduação Belo Horizonte, para aumentar o conhecimento. Acompanhe cada detalhe e identifique qual é a melhor opção de formação para você. MBA ou Pós-graduação?

Entenda as diferenças

Logo de início vamos entender os termos e seus significados. No Brasil é muito comum usar o termo pós-graduação para ser referir à uma especialização em determinada área. Porém, o que acontece é que, a pós-graduação é só um termo genérico para indicar um curso feito após sua graduação. Ou seja, MBA e Pós-graduação tecnicamente são a mesma coisa. O fato é que aqui no Brasil, nós deveríamos nos referir a Pós-graduação de especialização. Vejamos o que é!

Pós-graduação de especialização

Já os cursos de pós-graduação de especialização são programas direcionados a um determinado tema com uma carga horária alta e totalmente especializados. É uma especialização após a graduação em uma área específica escolhida pelo candidato.

MBA

O MBA é um curso “latu sensu” que possui o foco em gestão e negócios para empresa. Costuma-se dizer que “todo MBA é uma Pós-graduação, mas nem toda Pós-graduação é um MBA”. Ou seja, o MBA possui o mesmo peso acadêmico da especialização, porém tem direcionamentos diferentes.

Qual opção escolher? MBA ou Pós-graduação?

Agora que já entendemos as diferenças cruciais entre os dois títulos vejamos os atrativos que cada um possui para que escolha seja o mais consciente possível:

1. Habilidades obtidas

Uma das principais diferenças entre elas é o tipo de habilidades que você constrói. Um diploma de MBA é projetado para expandir suas habilidades no campo e torná-lo um profissional competitivo e gerente.

A maioria das especializações, seja qual área você escolher concentra-se na academia e na construção de uma sólida formação acadêmica sobre as áreas envolvidas na gestão. Em suma, um programa de MBA é focado em habilidades profissionais e gerenciamento de negócios enquanto os mestrados se concentram em habilidades acadêmicas e cunho e aprofundamento teórico.

2. Estilo de Ensino

Outra diferença importante entre esses graus é o estilo de ensino. A maioria dos programas combina vários estilos de ensino, mas, em geral, os estudos de Pós-graduação de especialização são construídos em torno de palestras em sala de aula, tutoriais e seminários.

Programas de MBA, por outro lado, lidam com problemas de negócios da vida real que os alunos devem entender, explorar, discutir e finalmente resolver. Esses problemas são frequentemente apresentados na forma de estudos de caso, com uma abordagem prática mais ampla sobre a análise dos problemas comerciais exatos da vida real. Normalmente, esses problemas são discutidos em pequenos grupos.

Muitas vezes os profissionais fazem uma Pós-graduação de especialização para obter experiência profissional, e mais tarde em sua carreira optam por realizar um MBA para a transição para uma função de gestão dentro da empresa já pretendida. Para que isso se torne uma realidade para você, conheça a Pós-graduação Belo Horizonte e veja o que ela tem de melhor a oferecer.

Se você gostou do assunto e possui algum amigo que também está na dúvida em qual opção vai ingressar, compartilhe este post ele e deixe aqui seu comentário, nos dizendo qual foi a sua escolha!

criatividade e inovação

Como a criatividade e inovação crescem na sociedade brasileira?

Vivemos uma época de rápido progresso tecnológico, na qual diversas soluções são criadas em um curto tempo. Isso faz com que criatividade e inovação sejam requisitos essenciais para qualquer empresa que deseja ter vantagem em relação à concorrência ou, simplesmente, se manter competitiva no mercado.

Atualmente, a liberdade proporcionada pela economia criativa permite que os profissionais desenvolvam novos produtos ou processos de maneira inventiva, a fim de criar soluções para as necessidades dos seus clientes e as suas próprias. Veremos agora um panorama da criatividade e inovação no nosso país. Confira!

Qual o cenário de criatividade e inovação no Brasil?

Segundo a Pintec (Pesquisa de Inovação do IBGE), entre 2011 e 2014, o percentual de companhias que dedicaram acima de 5% da sua receita líquida para pesquisa e desenvolvimento cresceu de 20% para 24%. Esse aumento é, em boa parte, resultado da mudança no comportamento de compra dos consumidores e no constante desenvolvimento de tecnologias de compartilhamento, o que resulta em serviços como Uber; Waze; Netflix e Spotify.

O conceito de ter um bem material está sendo, rapidamente, substituído pela troca de experiências, na qual as pessoas utilizam um produto ou serviço apenas pelo período que precisam. Com isso, novas empresas estão surgindo para renovar diversas questões que envolvem nosso dia a dia. Essas mentes criativas têm o apoio de profissionais experientes como Richard Chaves, diretor de inovação e novas tecnologias da Microsoft Brasil, que concebe projetos para estimular o desenvolvimento de ideias e a criação de startups.

Quais setores mais se destacam e por qual razão?

A indústria criativa no Brasil está se desenvolvendo rápido e emprega cada vez mais profissionais, a força motora por trás da inovação. Entre os segmentos que englobam a economia criativa, podemos citar consumo, cultura, mídias e tecnologia, todos com aumento no número de funcionários acima de 40%, entre 2004 e 2013. Com destaque para a área de publicidade, que teve uma elevação de 238% no mesmo período.

O motivo de alguns setores crescerem mais que outros, é, justamente, a velocidade com que acompanham o comportamento dos consumidores e suas exigências. Como o diretor de tecnologia para refrigeração e ar condicionado da Whirlpool Latin America, Carlos Tadeu da Silva, que antes de tudo, entende quais são as necessidades e problemas dos clientes e como a empresa pode resolvê-los. Só então, concebe projetos e trabalha para transformá-los em realidade.

Qual o perfil desejado nos profissionais desses setores?

Em todos os segmentos, é preciso gerar e identificar oportunidades, além de ter uma certa resiliência para alcançar seus objetivos e mente voltada para a inovação. A rede de contatos e as relações no mundo profissional pode aumentar ainda mais as chances de desenvolver ideias criativas e possibilidades de negócio.

Além disso, usar a criatividade para solucionar problemas e criar boas experiências para os usuários é a chave para conquistar reconhecimento e evoluir dentro de qualquer área da economia criativa, é por isso que conceitos como Design Thinking e User Experience são tão valorizados atualmente. Inclusive, algumas empresas promovem a inovação entre seus colaboradores, como a BASF, que por meio do seu gerente de tecnologia e inovação na América do Sul, Rony Sato, incentiva o pensamento original em diversos setores da empresa com workshops, palestras e treinamentos.

Realmente, a criatividade e inovação são habilidades que estão em alta e, provavelmente, estarão por um bom tempo. Em um mundo tão competitivo, aqueles que tiverem novas e boas ideias ganharão mais destaque e poderão usufruir dos retornos conseguidos por meio da economia criativa.

Assim como você, muitas pessoas também desejam saber sobre o crescimento da criatividade e inovação no Brasil. Por isso, compartilhe este artigo nas suas redes sociais!

direitos civis

Como o empreendedorismo atua na garantia de direitos civis?

Hoje, mais do que nunca, as empresas precisam ser ativas na proteção dos direitos civis. Afinal, os consumidores estão cada vez mais atentos a essa questão e desejam comprar de companhias que não visam só o lucro, mas que retornam os ganhos em ações que ajudam a melhorar o mundo. Por isso, todos devem fazer a sua parte para ajudar uma causa justa, por exemplo, as ONGs que trabalham com apadrinhamento de crianças.

Para isso, os negócios privados, ONGs e voluntários devem trabalhar em conjunto, em uma relação de troca igualitária, que ofereça e receba benefícios de todas as partes envolvidas. Assim, é possível proporcionar uma estratégia eficiente para melhorar a situação e buscar o equilíbrio nos direitos de todas as pessoas.

Confira agora como o empreendedorismo pode ajudar essas causas para melhorar a sociedade, além de expor seus valores e gerar uma boa impressão.

A escolha da parceria adequada

É preciso que as empresas busquem motivações que sejam relacionadas com sua área de atuação e seus ideais. Não é interessante apoiar projetos que não sejam diretamente vinculados ao negócio, pois, eles podem gerar pouco impacto, não serem sustentáveis ou criar más experiencias que impedem outras oportunidades de parcerias.

Então, é indicado que a empresa use da sua experiência e recursos na sua área de conhecimento para interferir de forma positiva na sociedade, auxiliando as ONGs não só com a parte financeira, mas também com suporte intelectual e outros meios possíveis. Ainda, é preciso ter comprometimento com a causa e estudar quais são os objetivos reais do projeto.

O alinhamento de expectativas e obrigações

Para ter suas necessidades atendidas, as ONGs precisam mostrar comprometimento total com a causa e ter qualidade nos serviços que desempenham. Já as empresas devem alinhar os projetos com suas estratégias institucionais, não oferecer risco para a operação e respeitar os horários dos colaboradores que irão participar.

Também, é preciso saber quais as necessidades específicas das instituições que serão parceiras, já que não adianta ceder recursos que não serão de interesse delas. Ainda, as ações devem prezar sempre pelo profissionalismo, garantindo que os envolvidos estejam preparados e seguros nas atividades realizadas.

A importância da comunicação para o sucesso

É imprescindível que as partes definam os objetivos do projeto, as responsabilidades das organizações, atividades desempenhadas por cada uma, formas de avaliação e outros assuntos em conjunto e de maneira igualitária. Desse modo, todos podem conhecer quais as intenções e limitações dos comprometidos na parceria.

Assim, é preciso que existam um canal direto e constante de comunicação, que facilite o entendimento e os ajustes que podem ocorrer durante os projetos. Isso além de facilitar o trabalho, vai fortalecer a parceria e preservar a imagem das organizações participantes.

As empresas e empreendedores tem um papel decisivo na luta pela igualdade de direitos civis. Como as ONGs precisam de apoio financeiro, logístico e intelectual para melhorar seu poder de ação, as empresas podem retornar seus lucros em benefícios para os que precisam e ainda praticar seus valores em busca de uma sociedade melhor por meio de parcerias.

Se você tem mais opiniões e dúvidas sobre a relação do empreendedorismo com os direitos civis, deixe seu comentário e participe da conversa!

5 problemas da sociedade moderna que impactam nos negócios

A vida na sociedade moderna nos impõe um ritmo acelerado, em que, muitas vezes, esquecemos certos detalhes que fazem toda a diferença na hora de fechar negócios. Erros no comportamento, na fala ou não conhecer bem o produto, podem ser resultado do acúmulo de tarefas, a pressa para fazer o trabalho ou a pressão para mostrar resultados, por exemplo.

Por isso, é preciso ter alguns cuidados, como estar bem preparado, conhecer o seu negócio a fundo, além de ter calma e paciência com os clientes. Afinal, todos temos nossas preocupações, mas não podemos deixar que elas interfiram no bom andamento das negociações.

No post de hoje, veremos alguns problemas da sociedade moderna que têm impacto no mundo corporativo. Boa leitura!

1. Falta de conexão

Essa ligação é muito importante para que o cliente se sinta confortável e confiante para comprar com a sua empresa. É preciso que as duas partes entrem em sintonia sobre o que está sendo tratado. Então, não mostrar empatia com a outra pessoa pode ser um obstáculo para os negócios. Logo, é muito importante treinar técnicas de rapport, que visa criar conexões com as pessoas e melhorar a relação nas negociações. Ela trabalha temas, como a atenção, a positividade e a coordenação mútua.

2. Insegurança

Esse sentimento pode ser gerado pelo despreparo sobre o assunto abordado. Isso é bastante prejudicial, pois, ela é transmitida para os outros, que terão receio em relação a sua oferta. Claro, se você não acredita no que está falando, não será o cliente que acreditará. Para resolver isso, basta se preparar, estudar o negócio, o produto ou serviço e o cliente, para ter segurança na sua postura e poder mostrar os benefícios do que está sendo vendido com confiança.

3. Ansiedade

Muitos vendedores ficam tão pressionados, por eles mesmos e por seus gestores, que se desesperam para fechar negócio de qualquer jeito e rápido, isso é uma receita para a desconfiança. O cliente achará que a empresa só está interessada em ganhar dinheiro e não em criar um relacionamento comercial agradável. Logo, não seja afoito, demonstre que não está apenas interessado no dinheiro, entenda as necessidades dos clientes e mostre que tem as soluções que ele precisa.

4. Impaciência

Existem pessoas que gostam de comprar apressadamente, mas há muitos outros que pesquisam bastante e precisam ser convencidos de que estão fazendo um bom negócio. Não entender o tempo do consumidor pode atrapalhar a produtividade de algumas empresas. Então, é preciso saber esperar o momento certo para propor uma venda. Deixe o cliente à vontade, mostre os benefícios da sua solução e instigue-o, aos poucos, a tirar mais dúvidas e se certificar do que deseja.

5. Despreparo

É preciso dedicar um tempo para estudar, se atualizar ou treinar você e a equipe, isso é essencial para ter entendimento do mercado e das novas exigências do público. Hoje, eles estão cada vez mais bem informados e têm dados sobre diversos assuntos com pouco esforço. Assim, invista em conhecimento e treinamento, tanto técnico, como sobre o público, o mercado, a empresa e o produto vendido. Dessa forma, você poderá realizar negociações com mais confiança e competência.

Como vimos, muitos problemas da sociedade moderna afetam diretamente os negócios. Eles são bastante comuns, mas ainda sim perigosos. É essencial saber contorná-los para não deixar que eles influenciem nos resultados da empresa. Assim, as suas negociações poderão ser mais pragmáticas e com foco total no cliente.

Se você tem mais dúvidas ou opiniões sobre como a sociedade moderna impacta nos negócios, deixe seu comentário e participe dessa conversa!